Aquém da apuração

Aquém da apuração

Já ouviram falar em Rita Skeeter? A jornalista do Daily Prophet é conhecida por escrever textos que transitam entre o sensacionalismo e as fake news. Ela já causou muito prejuízo para muita gente.

O jornal citado, Rita e seus prejudicados, digo, entrevistados fazem parte do mundo dos bruxos de Harry Potter. Em uma de suas primeiras aparições, Rita encurrala Harry durante o Torneio Tribruxo, espécie de Olimpíadas escolares que ele tinha sido selecionado para participar.

Harry, já sabendo da fama da jornalista, se limita a responder “hum” e “er” para todas as perguntas feitas por Rita. E ela interpreta as sílabas, colocando aspas que Harry nunca falou.

Fora-da-lei
Em uma cena, ela pergunta como os pais dele se sentiriam se fossem vivos e o vissem participar do campeonato. O bruxo não esboça nenhuma reação e não fala nada, ouvindo assustado com as perguntas cheias de julgamentos em relação a ele.

“Os olhos dele ficam molhados por causa dos fantasmas do passado” anota a pena de Rita em um bloquinho, sob protestos do incrédulo Harry. E a catarse nos leitores com os burburinhos criados por Rita Skeeter eram inevitáveis.

E após cada publicação do jornal, todos julgavam ainda mais o quanto Harry era arrogante, doce, triste, rebelde… tudo por causa da criatividade de Rita. E ninguém acreditava na palavra do bruxo adolescente contra a da jornalista prestigiada.

Uma pesquisa realizada em 2017 em 36 países, revelou que 29% dos entrevistados evitam o noticiário – muitos justificam a decisão dizendo que buscam evitar o efeito negativo das notícias sobre o humor (Newman et al., 2017).

Rita Skeeter, ainda nos anos 90, aproveitava a opinião e o humor dos bruxos para publicar com detalhes aquilo que eles queriam ler – mirando na fake news e surfando na pós-verdade. Uma visionária.

Uma das capas polêmicas do Daily Prophet

Para piorar a situação, Rita também se transformava, à revelia do Ministério da Magia, em besouro, e assim conseguia ilegalmente vários “furos”. Embora até no mundo dos bruxos isso seja ilegal, não é difícil pensar no sucesso que as matérias de Rita fariam num país onde uma conversa grampeada da então chefe de estado vai parar no jornal de maior audiência nacional.

Jornal
Para Rita, apuração é um mero capricho – as entrevistas exclusivas podiam ser feitas sem os entrevistados, pois as respostas seriam sempre as que ela quisesse.

Apesar disso, Rita era uma escritora ágil – conseguiu terminar um livro de novecentas páginas em apenas quatro semanas. Rita Skeeter publica, no último volume da série de livros, A Vida e as Mentiras de Alvo Dumbledore, a biografia do diretor da escola de magia mais cobiçada do mundo bruxo.

Através da reunião de cartas e relatos, a jornalista fala muito mal de Dumbledore, em parte porque os seus segredos foram mal interpretados.

A série de Harry Potter ilustra também o ‘lado bom’ das fake news. O Daily Prophet não hesita em publicar uma fake news a fim de acalmar a população acobertando um perigo iminente. Bom, o pânico generalizado foi adiado por algumas semanas – custando a queda subsequente do Ministro da Magia (um caos para o mundo bruxo) e uma crise ainda maior.

Fake news e pós-verdade são termos recentes, que surgiram com a mudança nas rotinas da produção jornalística, são os inconvenientes da era telemática. Essa mudança no fazer jornalístico se deu por conta do advento do jornalismo móvel, que, como definiu Firmino (2015) “delimita o fenômeno enquanto construção de um jornalismo baseado numa nova dinâmica caracterizada pelo uso das tecnologias móveis e do processo de convergência, numa acepção multidimensional”. Como também define Firmino, as tecnologias móveis são suportadas graças a infraestrutura da conexão sem fio (3G, 4G, Wi-fi, etc) e dos aparatos eletrônicos, como celular, smartphone, tablets, etc.

A cobertura ao vivo já está presente em nossas vidas há décadas, a coroação do rei Jorge VI em 1937 foi o primeiro evento transmitido ao vivo na história da televisão, porém o jornalismo móvel está redefinindo este conceito, trazendo formatos de mídias adicionais e veículos alternativos nas transmissões por streaming, como o Facebook e Instagram.

No filme “O show de Truman” (1998), uma espécie de reality show ao vivo mostra a vida de Truman Burbank (Jim Carrey), desde seu nascimento até sua vida adulta, 24 horas por dia, para milhões de telespectadores. Esse tipo de programa cai na classificação de infotainment, Itania Gomes (2008) afirma que o termo neologismo Infotainment traduz o embaralhamento de fronteiras entre informação e entretenimento, comumente encontrado no telejornalismo. O filme supracitado inaugura a era dos realities shows, que se multiplica em formatos e temas variados, onde vemos desde um homem solitário na floresta registrando sua sobrevivência com uma “câmera portátil de aventura” até os grandes realities estilo Big Brother, com centenas de câmeras de última geração.

Soldado inserindo um CD, em pleno 1997 – Tropas Estelares

Segundo dados apurados por Firmino (2015), o uso do 3G e do 4G tem crescido vertiginosamente em todo o mundo, só no Brasil o 4G cresceu 416% em 2014, as propagandas de telefonia atualmente já falam na tecnologia 4.5G, que não passa de ação de marketing. As tecnologias de comunicação móvel começaram a permear nossas vidas no início da década de 90, invadindo filmes e seriados de ficção científica com essa nova possibilidade, sendo uma tendência cinematográfica. Exceto por um grande fracasso de bilheteria chamado Tropas Estelares (1997), onde vemos os soldados recebendo mensagens de seus familiares através de pequenos CDs, que precisavam ser inseridos numa grande máquina para visualização da vídeo-mensagem. Foi provavelmente o último filme a não se render às maravilhas da tecnologia móvel.

 

Referências e sugestões de leitura:

Newman N., Fletcher R., Kalogeropoulos A., Levy D. e Nielsen R. K. (2017) Reuters Institute Digital News Report 2017

Palmer, L. (2017) The boy who lies: what the Daily Prophet can teach us about fake news. Disponível em:

https://www.newstatesman.com/politics/media/2017/06/boy-who-lies-what-daily-prophet-can-teach-us-about-fake-news

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: